2018 ainda não foi o ano dos liberais, mas avançamos bastante
Liberdade e Estado / 29/10/2018

Estamos vivenciando um momento histórico em relação a nossa situação política. Muito tem se falado que as eleições de 2018 levaram o país a uma guinada conservadora à direita, fruto da descrença da população em relação a velha política e na possibilidade do deputado Jair Bolsonaro ser o pivô da mudança. Está situação tem causado um grande debate entre os liberais pois não existe um candidato realmente dito como liberal com condições de vitória e o Bolsonaro como o principal nome da “direita”. Sendo assim, é possível afirmar que mesmo em declarações recentes, as falas do deputado ainda são opiniões genéricas. E se por um lado o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro defende o livre de mercado (com o apoio do futuro ministro Paulo Guedes), o deputado federal agiu diferente. Por exemplo: se absteve de votar no Projeto de Lei da Terceirização (PL 4330/04). Tal postura levou muitos liberais a se posicionarem contra a eleição de Bolsonaro. Ficou claro durante a campanha o confuso posicionamento “nacional desenvolvimentismo liberalista” de Jair Bolsonaro, no qual demonstra alguma simpatia por ideias de mercado enquanto apoia outras restrições, como a reserva de mercado de recursos como Nióbio. Já em relação aos costumes, embora defenda…

O Brasil elegerá novamente um presidente de esquerda, será?
Liberdade e Estado / 03/10/2018

Felizmente as previsões que fiz em abril e em setembro se demonstram incoerente, haja visto o crescimento da rejeição ao candidato Fernando Haddad nas últimas pesquisas. Tal situação pode ser facilmente entendida pela unificação da direita (entre conservadores apoiadores do Bolsonaro e os liberais apoiadores do Amoêdo, no qual me incluo) somado ao movimento de repulsa ao PT (que ficou claro no boicote que os brasileiros fizeram ao movimento #EleNão) estão levando ao país a eleger de forma inédita um presidente com ideologia, aparentemente, voltada para direita conservadora, vale ressaltar que desde da redemocratização estávamos vivendo o aumentando absurdo no tamanho e na intervenção estatal. Para clarificar ainda mais este posicionamento será apresentado a seguir a estratificação da última pesquisa IBOPE para presidente (01.out.2018) feita durante o movimento #EleNão promovido pela esquerda Brasileira. Antes do resultado por segmentos, vamos aos números totais: Jair Bolsonaro (PSL): 32% Fernando Haddad (PT): 21% Ciro Gomes (PDT): 11% Geraldo Alckmin (PSDB): 9% Marina Silva (Rede): 4% João Amoêdo (Novo): 3% Henrique Meirelles (MDB): 2% Alvaro Dias (Podemos): 2% Cabo Daciolo (Patriota): 2% Guilherme Boulos (PSOL): 0% João Goulart Filho (PPL): 0% Eymael (DC): 0% Vera Lúcia (PSTU): 0% Em branco / nulo / nenhum:…

PSL demostrou o motivo de 2018 ainda não ser o ano dos liberais
Liberdade e Estado / 09/01/2018

No texto anterior escrevi sobre a relação do deputado federal e pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (RJ) com os movimentos liberais e que situação dele nas pesquisas, apontava para o surgimento de uma reação “conservadora” de resistência em protesto as posições “progressivas” do lulo-tucano-petismo e não de característica liberal centrada na defesa das liberdades individuais. E também me posicionei que como liberal não sou e não serei apoiador da candidatura do deputado Jair Bolsonaro. Mas se houver uma disputa de 2º turno contra os representantes da esquerda: Lula, Ciro, Alckimin e Marina, posicionarei ao lado do deputado carioca, como diz o ditado: dentre os males o menor. Mas como o Brasil é imprevisível, no dia 05 de janeiro, o deputado Jair Bolsonaro anunciou nesta sexta-feira que concorrerá ao Palácio do Planalto pelo Partido Social Liberal (PSL). Segue a parte da nota: “É com muito orgulho que o PSL recebe o deputado Jair Bolsonaro e sua pré-candidatura a Presidência da República. Outrossim, é com muita honra que o deputado se sente abrigado pela legenda, e muito à vontade em um partido onde existe total comunhão de pensamentos”, diz o texto. Outro ponto interessante do comunicado ainda afirma é relacionado…

Bolsonaro e os Liberais
Liberdade e Estado / 13/12/2017

Estamos vivenciando um momento atípico em relação a nossa situação política. Muito tem se falado que as eleições de 2018 podem levar o país a uma guinada, fruto da descrença da população em relação a velha política e na possibilidade do deputado Jair Bolsonaro ser o pivô da mudança. Está situação tem causado um grande debate entre os liberais pois não existe um candidato realmente dito como liberal com condições de vitória e o Bolsonaro como o principal nome da “direita”.  Então cria a seguinte reflexão: os liberais devem apoiar ou não o Jair Bolsonaro na disputa de 2018? Sendo assim, é possível afirmar que mesmo em declarações recentes, as falas do deputado ainda são opiniões genéricas. E se por um lado o pré-candidato Bolsonaro defende o livre de mercado, o deputado federal age diferente. Por exemplo: se absteve de votar no Projeto de Lei da Terceirização (PL 4330/04). Tal postura tem levado muitos liberais a se posicionarem contra a eleição de Bolsonaro. Fica claro o confuso posicionamento “nacional desenvolvimentismo liberalista” de Jair Bolsonaro, no qual demonstra alguma simpatia por ideias de mercado enquanto apoia outras restrições, como a reserva de mercado de recursos como Nióbio. Já em relação aos…