Quanto mais intervencionista é o Estado mais corrupção ele cria
Liberdade e Estado / 20/05/2017

Quem nunca ouvi a frase: “Criar dificuldades para vender facilidades”? E esta situação acontece entre o estado regulador e a iniciativa privada regulada. Logo quanto maior for a intervenção do Estado, mais burocrata ele será e mais dificuldades ele criará, portando mais “facilidades” ele terá para vender. Sabem quais são os países que lideram o ranking da corrupção? Justamente aqueles nos quais é mais forte a presença do estado na economia e dentre eles destaca-se no amado Brasil que é apontado a quarta nação mais corrupta do mundo, segundo o índice de corrupção do Fórum Econômico Mundial (2016). O país está atrás apenas do Chade, da Bolívia e da Venezuela, que lidera o ranking. Entre as 10 nações mais corruptas do ranking do Fórum Econômico Mundial, cinco são latino-americanas: Venezuela, à frente, com nota 1,7; Bolívia, com 2; Brasil e Paraguai, ambos com 2,1; e República Dominicana, com 2,2. E esta razão é clara: o Estado se torna fonte de criação de dificuldades e facilidades. Uma simples política tributária muito dura, amenizada por desonerações pontuais, torna-se forte moeda de troca, exemplo quando o ex-ministro Guido Mantega desonerou o IPI dos carros, ou quando a presidente Dilma reduziu as tarifas da…