6 Lições liberais da Bíblia

22/05/2017

Nós liberais temos como parte da nossa base acadêmica o livro “As 6 lições – Von Mises” que explica os principais aspectos da economia principalmente em relação ao capitalismo, socialismo e a intervenção do Estado. Inspirado nesta ideia o objetivo deste texto é apresentar algumas lições liberais que podemos tirar da Bíblia Sagrada. Independente da sua crença, acredito que estes versículos o farão refletir bastante.

1ª Lição – Cuidado com o Estado

Referiu Samuel todas as palavras do SENHOR ao povo, que lhe pedia um rei, e disse: Este será o direito do rei que houver de reinar sobre vós: ele tomará os vossos filhos e os empregará no serviço dos seus carros e como seus cavaleiros, para que corram adiante deles; e os porá uns por capitães de mil e capitães de cinquenta; outros para lavrarem os seus campos e ceifarem as suas messes; e outros para fabricarem suas armas de guerra e o aparelhamento de seus carros. Tomará as vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. Tomará o melhor das vossas lavouras, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais e o dará aos seus servidores. As vossas sementeiras e as vossas vinhas dizimará, para dar aos seus oficiais e aos seus servidores. Também tomará os vossos servos, e as vossas servas, e os vossos melhores jovens, e os vossos jumentos e os empregará no seu trabalho. Dizimará o vosso rebanho, e vós lhe sereis por servos. Então, naquele dia, clamareis por causa do vosso rei que houverdes escolhido; mas o SENHOR não vos ouvirá naquele dia. Porém o povo não atendeu à voz de Samuel e disse: Não! Mas teremos um rei sobre nós. (1 Samuel: 8:10-19)

Nesta conversa percebemos que Deus estava avisando para o povo que não seria prudente ter um estado que o governasse. Ele fala do perigo dos impostos (que o estado iria, literalmente, roubar/tomar do povo) e que no fim o povo iria se arrepender de ter pedido isto a Deus. Será que isto soa familiar?

2ª Lição – O nosso sustento deve vir do nosso trabalho

Do trabalho de tuas mãos comerás, feliz serás, e tudo te irá bem. (Salmo 128:2)

Atualmente uma parcela considerável da população brasileira defende um estado assistencialista, com objetivo de mitigar as desigualdades sociais. A intenção é nobre, mas a Bíblia, avisa o quanto é importante receber pelo próprio esforço e isso uma das ideias chaves na luta pela liberdade. As pessoas têm que serem livres para empreender. Livres para buscar novas soluções

3ª Lição – O governo é formado por seres humanos e não anjos

Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do SENHOR! Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? (Jeremias 17:5 e 9)

Este é um paradoxo interessante em relação ao pensamento daqueles que acreditam na intervenção estatal. Estas pessoas acreditam que o estado (formado por seres humanos) irá nos salvar do mercado hostil (formado também por seres humanos), uma incoerência sem fim. E como escrito na Bíblia: o ser humano é enganoso e desesperadamente corrupto, maldito o ser humano que confia no próprio ser humano. Traduzindo para nossa visão: o estado também pode ser corrompido, maldito o povo que confia no estado.

4ª Lição – Devemos buscar o conhecimento

 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. (João 8:32)

Um ponto chave para liberdade é o conhecimento. Atualmente temos uma geração inteira de doutrinados, pessoas que somente repetem o que ouvem, sem o mínimo de análise crítica. Com isso temos um verdadeiro Fla x Flu político, nenhuma discussão clara de ideias, somente brigas infantis de quem tem o político de estimação menos sujo.

Precisamos conhecer mais sobre a nossa história, nossa formação, nossa cultura e economia. Não podemos ser mais pautados pela mídia rasa e por professores “politizados” sem nenhum senso crítico. Só buscando o conhecimento e a verdade sairemos desta “idade das trevas”.

5ª Lição – Tudo me é lícito

Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas. (1 Coríntios 6:12)

A Bíblia traz uma incrível reflexão: tudo me é permitido mas tem tudo convém fazer. Isto quer dizer que devemos analisar as decisões que iremos tomar, pois somos livres para fazer, entretanto, como também está escrito na Bíblia, o que plantamos, colheremos.

E esta deve ser a nossa reflexão, o que plantamos e o que queremos colher. Mas infelizmente vivemos num país intervencionista que gosta de definir o que podemos ou não fazer, vejamos alguns exemplos: lei da palmada, estatuto do desarmamento, horário de verão….

Na economia não é diferente, o Estado cria uma série de barreiras que dificultam a inovação dos serviços, o exemplo mais atual é a tentativa de regulação do UBER. Então como sermos livres se o próprio Estado pretende definir o certo e o errado para nossas vidas

6ª Lição – Sou o único responsável pela minha vida

Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.  Não nos julguemos mais uns aos outros; pelo contrário, tomai o propósito de não pordes tropeço ou escândalo ao vosso irmão. (Romanos 14:12-13)

Para finalizar a nossa reflexão, temos que enfatizar que somos produtos das nossas escolhas e que no fim daremos contas dos nossos atos. Mesmo que você não compartilhe da mesma fé que a minha, você concorda que de nada adianta transferir a responsabilidades dos nossos fracassos a terceiros. Devemos saber como escrito anteriormente que devemos agir.

Se o país está em uma profunda crise econômica na qual não parece existir uma saída rápida, devemos nós buscarmos fazer a diferença. Devemos parar de esperar que um Estado corruptível possa nos ajudar. Repito: somos nós os que provocarmos está crise, ao confiar exageradamente nos governantes, e somente nós temos as condições e responsabilidades para sairmos desta situação.

Mas devemos pensar no coletivo, mas a ação é individual. E só conseguiremos agir se formos realmente livres, e para termos esta liberdade não precisamos do Estado, mas sim de coragem para assumir novamente a responsabilidade por nossas vidas.

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.