E se o Lula tivesse conhecido o José do Egito?

26/04/2017

Os últimos anos foram os piores para a economia brasileira, o PIB, que é a soma de bens e serviços produzidos pelo país num determinado período, caiu 3,6% em 2016 e 3,8% em 2015. Muitas são as causas que explicam esta crise, mas a principal é a tal “Nova Matriz Econômica”

A “Nova Matriz” se baseia em cinco pilares: política fiscal expansionista, juros baixos, crédito barato fornecido por bancos estatais, câmbio desvalorizado e aumento das tarifas de importação para “estimular” a indústria nacional.  E o governo ainda trabalhava com a ideia que “um pouco mais de inflação gera mais crescimento econômico”. Isto como vimos nos números foi um erro abissal.

E tal situação foi a força matriz que impulsionou o impeachment da presidente Dilma, uma grande aversão ao Partido dos Trabalhadores, afinal eles ficaram 13 anos no poder e como resultado final mergulhou o Brasil na pior crise econômica da sua história.

Mas durante o governo Lula (2003-2010) o país viveu uma época de grande crescimento, tanto que em 2010 o PIB cresceu incríveis 7,5%. Mas isto foi fruto de uma política austera (no primeiro mandato 2003-2006), queda do dólar, boom das commodities, crescimento chinês. Mas ao invés do governo fazer uma poupança com estes recursos, ou investir na melhoria da infraestrutura nacional, ou fazer as reformas necessárias (previdência, fiscal, trabalhista…), a escolha foi a pior possível: Aumentar o crédito.

Mas infelizmente para nós brasileiros, tudo o que se faz sem ter uma base sólida acaba desmoronando. E no nosso caso, já em 2012 com o enfraquecimento do real frente ao dólar todo o arranjo do governo Lula se dissolveu.

Então o toque de Midas do governo Lula de fazer com que o crédito, a renda e o emprego aumentassem continuamente sem gerar escassez foi desfeito.  Com dólar alto o governo deveria retornar a política austera do ano 2003. Mas o caminho escolhido foi o inverso

Com a Nova Matriz Econômica, adotada pelo governo Dilma.  Além do endividamento recorde e dos investimentos errôneos das indústrias (fruto não da necessidade do mercado, mas por política intervencionista do estado), tivemos também aumento da inflação provocando queda na renda real das pessoas, as famosas pedaladas fiscais e aumentando o desarranjo nas contas do governo, gerando perda do grau de investimento, e uma disparada ainda mais intensa do dólar, o que está causando uma carestia generalizada.

Somados aos contínuos aumentos dos gastos do governo e que foram amplificados pelas pedaladas fiscais, estão agora cobrando seu preço. Com as subidas dos juros efetuadas pelo Banco Central, a expansão do crédito desacelerou, levando consigo a renda, o emprego e os salários.  Consequentemente, a arrecadação do governo também caiu.

Mas o que tem isto a ver com José do Egito? José filho de Israel foi levado ao Faraó para interpretar um sonho que foi dado por Deus. O sonho era uma revelação de que o Egito após um período de fartura iria viver um período de escassez. Além de dar esta interpretação ao sonho, José ainda falou como o governante deveria agir:

“Faça isso Faraó, e ponha administradores sobre a terra, e tome a quinta parte dos frutos da terra do Egito nos sete anos de fartura. Ajuntem os administradores toda a colheita dos bons anos que virão, recolham cereal debaixo do poder de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem. Assim, o mantimento será para abastecer a terra nos sete anos da fome que haverá no Egito; para que a terra não pereça de fome”. (Genesis 41:34-36)

Logo se alguém do governo Lula tivesse dado um conselho semelhante ao de José, possivelmente não estaríamos nesta situação. Mas o conselho dado pelo iluminado Guido Mantega a presidente Dilma foi que poderia continuar aumentando os gastos no mesmo ritmo de Lula.  Mas as receitas do governo secaram e o país mergulhou na pior crise da história e infelizmente sem previsão de recuperação tão cedo.

 

O trágico legado da “Nova Matriz Econômica” – um resumo cronológico: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2120

Brasil vive a pior recessão da história: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2017/03/brasil-vive-pior-recessao-da-historia.html

PIB brasileiro fecha 2010 com crescimento de 7,5%, maior desde 1986, aponta IBGE: http://oglobo.globo.com/economia/pib-brasileiro-fecha-2010-com-crescimento-de-75-maior-desde-1986-aponta-ibge-2815938

Uma visão do futuro: http://istoe.com.br/117226_UMA+VISAO+DO+FUTURO/

O que realmente permitiu o grande crescimento econômico brasileiro da última década http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2190

O desastre da economia brasileira e o gigantesco buraco fiscal do governo: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2180

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.