O primeiro debate – Eleições 2018

13/08/2018

O primeiro debates entre os presidenciáveis começou de uma forma trágica. Na abertura do programa o apresentador deve a infelicidade de dizer que o presidiário Luis Inácio Lula da Silva não poderia participar do debate pois fora impedido pela justiça. Na verdade ele não participou pois está preso e inelegível pela Lei da Ficha Limpa. Novamente o nosso jornalismo preferiu um Fake News ao invés de dizer a verdade pura e simples.

E quem foi impedido de participar do debate foi o candidato João Amoedo do Novo. A TV Bandeirantes se baseou na Lei 13.488/2017, que estabelece as regras da campanha, determina que as emissoras de rádio e TV são obrigadas a convidar para os debates os candidatos dos partidos que tiverem no mínimo 5 parlamentares no Congresso Nacional. Quanto aos demais candidatos, as emissoras têm autonomia para convidar ou não. Como o NOVO foi criado em 2016 o mesmo não possui deputados federais.

Mas para candidata Marina Silva foi adotado outro posicionamento. Mesmo a REDE tendo apenas 3 representantes no Congresso: os deputados Miro Teixeira (RJ) e João Derly (RS) e o senador Randolfe Rodrigues (AP) a candidata foi convidada. Isto nos faz lembrar aquele velho ditado – “Aos amigos favores, aos inimigos a Lei”

Já o debate em si foi fraco e sem uma estratégia definida entre os candidatos. Ficou evidente que o psdebista Geraldo Alckmin, dono do maior tempo na propaganda eleitoral gratuita na TV, foi o alvo preferencial dos adversários. E que Bolsonaro e Ciro Gomes, com poucos segundos na propaganda eleitoral, acabaram sendo em certa medida “ignorados” pelos demais.

Um ponto assustador deste debate foi o fato de todos os candidatos colocarem no Estado/ Governo a solução dos problemas. Pouco foi dito de como o grau intervencionista do Estado brasileiro é a causa raiz da crise. Dentre os absurdo o que mais se destacou foi a proposta do candidato Ciro Gomes em criar a “bolsa SPC/Serasa” na qual o Estado brasileiro!!?? irá limpar todos “nomes sujos” da nação. Como dito posteriormente pela vice Kátia Abreu, tal medida seria o REFIS para pessoa física.

E o ponto alto do debate foi quando o candidato Bolsonaro respondeu a pergunte feita pelo candidato Álvaro Dias em relação ao diferença salarial entre homens x mulheres: “Estado não deve interferir na questão salarial”

Creio que com o inicio das campanhas eleitorais e com pesquisas mais fidedignas os ataques devam aumentar e as estratégias visando o segundo turno devam ser definidas. Por enquanto os candidatos estão somente tateando. Mas também fica claro que o Bolsonaro, se quiser ser percebido como um liberal, tem que alterar seu discurso e começar a se mostrar como um não-estado, um simplificador da vida dos brasileiros.

 

Referências

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/08/09/politica/1533844195_287474.html

https://www.destakjornal.com.br/brasil/eleicoes-2018/detalhe/lula-escreve-carta-sobre-o-debate-entre-presidenciaveis

http://portaliconews.com/eleicoes-2018-perdeu-o-debate-da-band-com-os-candidatos-a-presidente-assista-aqui/

https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/08/debate-da-band-joao-amoedo.html

https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/agencia-estado/2018/08/07/joao-amoedo-avalia-entrar-na-justica-para-participar-de-debates-na-tv.htm

 

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *