Liberdade antes que tardia
Liberdade e Estado / 31/07/2017

Após uma boa conversa no Facebook sobre “direita liberal” na qual defendi a tese que não existe uma direita liberal (pois tenho como crença que para ser liberal de fato não deveria existir Estado e que no próprio termo “direita” já está incluso a necessidade de existir um ente estatal) percebi que existem de fato poucos liberais no Brasil, e destes a maioria estão firmados na Liberalismo Clássico. E com isso fiquei bastante reflexivo em relação as ideias da liberdade em solo tupiniquim. Coincidentemente na página do Mises Institute estava com um post “For New Libertarian”, escrito pelo próprio presidente do instituto o Senhor Jeff Deist e que se mostrou bastante aderente com a minha recente preocupação em relação a falta de relevância do discurso pró liberdade no cenário político. O texto utiliza sabiamente o pensamento de Murray Rothbard : “O libertarianismo é uma filosofia que busca uma política.” E se indaga se atualmente o correto não seria afirmar que “o libertarianismo é uma filosofia que busca melhores libertários”. Esta crítica é em decorrência da supervalorização da força advinda da “revolução digital” e da globalização. Mas se esquecem do fato que estas mesmas forças podem também serem apropriadas pelo Estado….