2018 ainda não foi o ano dos liberais, mas avançamos bastante
Liberdade e Estado / 29/10/2018

Estamos vivenciando um momento histórico em relação a nossa situação política. Muito tem se falado que as eleições de 2018 levaram o país a uma guinada conservadora à direita, fruto da descrença da população em relação a velha política e na possibilidade do deputado Jair Bolsonaro ser o pivô da mudança. Está situação tem causado um grande debate entre os liberais pois não existe um candidato realmente dito como liberal com condições de vitória e o Bolsonaro como o principal nome da “direita”. Sendo assim, é possível afirmar que mesmo em declarações recentes, as falas do deputado ainda são opiniões genéricas. E se por um lado o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro defende o livre de mercado (com o apoio do futuro ministro Paulo Guedes), o deputado federal agiu diferente. Por exemplo: se absteve de votar no Projeto de Lei da Terceirização (PL 4330/04). Tal postura levou muitos liberais a se posicionarem contra a eleição de Bolsonaro. Ficou claro durante a campanha o confuso posicionamento “nacional desenvolvimentismo liberalista” de Jair Bolsonaro, no qual demonstra alguma simpatia por ideias de mercado enquanto apoia outras restrições, como a reserva de mercado de recursos como Nióbio. Já em relação aos costumes, embora defenda…